27 de nov de 2014

Segunda família (14/10/2014) - Comentário de Luiz Carlos Prates

26 de nov de 2014

Eu quero mais! (19/11/2014) - Comentário de Luiz Carlos Prates

Deixou a lição (21/11/2014) - Comentário de Luiz Carlos Prates

22 de nov de 2014

Gestão de Cadeia de Suprimentos - parte I

O que é Cadeia de Suprimentos? Conceito e Aplicações Iniciais

Sistemas Corporativos - SCM , ERP e CRM

Torne seu CD, armazém ou depósito LUCRATIVO, chegou JLOGWMS

WMS Open Net - Gestão de Armazéns, Depósitos e Centros de Distribuição

WMS - Sistema de Gerenciamento de Armazém

Logistica de Distribuição

NÃO SE CONSTRÓI ECONOMIA SEM PESSOAS E SEM LOGÍSTICA

Posted: 09 Nov 2014 05:04 PM PST
Businessman climbing the career steps drawn on a black chalkboarÉ cada vez mais preocupante a exclusão dos valores humanos nos ciclos econômicos e, como não dizer, nas nossas relações pessoais. Esse valor humano está deixando de ser o elo principal para se tornar secundário, ou até inexistente em muitos sistemas econômicos. Gradativamente, as pessoas estão deixando de ser “a razão” para ser “um meio”. […]
Logística Descomplicada - Logística empresarial, transportes, administração e mais.
Conheça cursos de logística 100% online.

POR QUE TERCEIRIZAR A LOGÍSTICA?

Posted: 10 Nov 2014 05:05 AM PST
terceirizacao logisticaEssa é uma dúvida muito comum! Apesar de muito se falar sobre outsourcing (terceirização) ainda existem muitas empresas que realizam determinadas atividades, diferentes do seu Core Business (Negócio Chave/Atividade Fim) internamente. Esse posicionamento pode estar correto, principalmente se tais atividades forem exclusivas e o mercado não dispor de Prestadores de Serviços capacitados para sua execução. […]
Logística Descomplicada - Logística empresarial, transportes, administração e mais.
Conheça cursos de logística 100% online.

3 de nov de 2014

LOG.10


CPR- Carriage Paid to – Transporte Pago até(local de destino designado)
Nesse Termo, o vendedor contrata o frete pelo transporte da mercadoria até o local designado. Os riscos de perdas e danos na mercadoria, bem como quaisquer custos adicionais devidos a eventos ocorridos após a entrega da mercadoria ao transportador, são transferidos pelo vendedor ao comprador, quando a mercadoria é entregue à custódia do transportador.
Esse Termo pode ser usado em qualquer modalidade de transporte, inclusive multimodal.
____________________X________________________
LOG.9
CFR- Cost and Freight – Custo e Frete(porto de destino designado)
Nesse Termo, o vendedor assume todos os custos anteriores ao embarque internacional, bem como a contratação do frete internacional,para transportar a mercadoria até o porto de destino indicado.
Destaque-se que os riscos por perdas e danos na mercadoria são transferidos do vendedor para o comprador, ainda no porto de carga(igual ao FOB, na “ship rail”). Assim, a negociação(venda propriamente dita) está ocorrendo ainda no país do vendedor.
Esse  Termo só pode ser usado no transporte aquaviário(marítimo,fluvial ou lacustre)

CIF- Cost, Insurance and Freight- Custo, Seguro e Frete(..porto de destino designado)
Nesse Termo, o vendedor tem  as mesmas obrigações que no “CFR” e, adicionalmente, que contratar o seguro marítimo, contra riscos de perdas e danos durante o transporte. Como a negociação ainda está ocorrendo no país do exportador( a amurada do navio,no porto de embarque, é o ponto de transferência de responsabilidade sobre a mercadoria), o comprador deve observar que no Termo “CIF”  o vendedor somente é obrigado a contratar seguro com cobertura mínima.
Esse Termo só pode ser usado no transporte aquaviário(marítimo,fluvial ou lacustre).




  LOG.8
 4.4 – Leis, decretos e portarias sobre
                transporte de cargas nos diversos modais
                A legislação é vasta em vista da dinâmica dos transportes nos diversos modais.
                Para se atualizar, basta entrar no site da Agência Nacional de Transportes Terrestres(ANTT).
               No Google basta colocar a sigla. O mesmo para o transporte aéreo com a ANAC  e o transporte marítimo com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários(ANTAQ).

4.5 – Cláusulas Comerciais
           Citaremos apenas as seis cláusulas comerciais mais importantes e mais utilizadas no Brasil.
FCA- Free Carrier – transportador livre(local designado)
Nesse termo o vendedor(exportador) completa suas obrigações quando entrega a mercadoria pronta para exportação aos cuidados do transportador internacional indicado pelo comprador, no local designado do país de origem
Por conseguinte,cabe ao comprador(importador) contratar frete e seguro internacionais,
Este termo pode ser utilizado em qualquer modalidade de transporte.

FAS- Free Alongside Ship – Livre no Costado do Navio(porto de embarque designado)
Neste termo, a responsabilidade do vendedor se encerra quando a mercadoria é colocada ao longo do costado do navio transportador, no porto da carga.
A contratação do frete e do seguro internacionais fica por conta do comprador.
Esse termo só pode ser utilizado no transporte aquaviário(marítimo, fluvial ou lacustre)

FOB- Free on Board – Livre a Bordo( do porto de embarque designado)
Nesse termo, a responsabilidade do vendedor, sobre a mercadoria, vai até o momento da transposição da amurada do navio(“ship rail”),no porto de embarque, muito embora a colocação da mercadoria a bordo do navio seja também, em princípio, tarefa a cargo do comprador.Ressalte-se que o transportador é contratado pelo comprador(importador). Logo, na venda “FOB”  o exportador precisa conhecer qual o termo marítimo acordado entre o comprador e o armador, a fim de verificar quem deverá cobrar as despesas de embarque da mercadoria.
Esse termo só pode ser utilizado no transporte aquaviário(marítimo, fluvial ou lacustre).


LOG.7
   4.2 – Terceirização no transporte de cargas e
              armazenagem
              Lei nº 11.442 de 05/11/2007 – Dispõe sobre o transporte rodoviário de cargas por conta de terceiros e revoga a Lei 6.813 de 10 de julho de 1980.
O Tribunal Regional do Trabalho(TRT) da 9ª Região com sede em Curitiba, julgou constitucional relação de empresas com autônomos.

                De acordo com os dados de 2010 do Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga( RNTRC ) da Agência Nacional de Transportes Terrestres( ANTT ) existem no país perto de 161 mil empresas, entre carga própria( cerca de 80%) e empresas de   transporte(cerca de 20%), além  de mais de 823 mil transportadores autônomos, totalizando1,9 milhão de veículos.
                  Dados atuais, confira direto no site da ANTT.
    4.3 – Normas de Segurança Aplicadas no
               Manuseio de Transporte de Cargas
                Perigosas
                Segundo a legislação atual da ANAC, todas as pessoas envolvidas no transporte aéreo de produtos perigosos precisam do treinamento em cargas perigosas com reconhecimento da ANAC.
                
   

                       Segurança no transporte
              Com vistas à otimização da segurança na movimentação de cargas perigosas, devemos ter em conta os seguintes aspectos:
. Classificação do material antes de transportar;
. Ambiente de distribuição;
. Regulamentação;
. Embalagem;
. Documentação-facilita todo o processo na cadeia
                                 Logística;
. Marcação e Identificação;
. Treino – Investir no treino das atividades
                    específicas de cada operador, antes do
                     manuseamento de cargas perigosas;
. Alterações – mudanças nas leis;
. Propriedades dos materiais ou condições
   ambientais;
. Transportadores – método como estes atuam e a
                                         Capacidade tecnológica dos
                                          mesmos;
. Conexão –A ligação entre os diferentes elos da
                       Cadeia de abastecimento deve ser clara
                        e eficiente.





LOG.6

4 – LEGISLAÇÃO APLICADA A LOGÍSTICA
       4.1 – Contratação de compras e serviços
                 Elaboração de contratos pela área jurídica da empresa:
       - Compras nacionais e importadas;
          -  Contratação de serviços aduaneiros, etc.;
          -  Cláusulas de direitos e deveres do contratado
              e do contratante e demais dispositivos legais;
Resumindo: As atividades da Logística de Suprimentos e serviços, bem como da Logística de Distribuição, necessita de apoio constante e sistemático da área jurídica da empresa, haja vista que a empresa está na condição de consumidora( cliente do fornecedor de materiais e serviços) e, também, fornecedora de produtos acabados
                    Para a aquisição de  produtos e a contratação de serviços pelos entes da Administração Pública direta ou indireta, o procedimento administrativo formal é a Licitação.
                     O processo licitatório  é composto de diversos procedimentos que, têm como meta princípios constitucionais tais como a legalidade, a impessoalidade, a moralidade, a publicidade e a eficiência com o intuito de proporcionar a Administração  a aquisição, a venda ou uma prestação de serviço de forma vantajosa,ou seja, menos onerosa e com melhor qualidade possível. Com isso atinge os objetivos básicos da Logística. É a chamada “eficiência contratória.”
      As modalidades de licitação são as seguintes, elencadas na Lei 8.666. de 21/06/1993:
       . Concorrência
       . Tomada de Preços
      .  Convite
        .  Leilão
        .  Concurso
Posteriormente, pela Lei 10.520/2002 foi introduzida a modalidade pregão.



LOG.5
MARÍTIMO
Vantagens:
- Maior capacidade de carga;
- Carrega qualquer tipo de carga;
- Menor custo de transporte.
Desvantagens:
- Necessidade de transbordo nos portos;
- Distância dos centros de produção;
- Maior exigência de embalagem;
- Menor flexibilidade nos serviços aliada a frequentes
   Congestionamentos nos portos.
FLUVIAL
- Uma utilização muito pequena no Brasil.
DUTOVIÁRIO
No Brasil os principais dutos existentes, são:
. Gasoduto
. Mineroduto
. Oleoduto
AÉREO
Vantagens:
- Transporte mais rápido;
- Não necessita de embalagem mais reforçada;
- Os aeroportos normalmente estão localizados mais
   próximos dos centros de produção;
- Possibilita redução de estoques( via aplicação de procedimentos Just-in-time).
Desvantagens:
- Menor capacidade de carga;
- Valor do frete mais elevado em relação aos outros modais.



LOG.4
RODOVIÁRIO
Vantagens:
- Adequação para curtas e médias distâncias;
 - Simplicidade no atendimento das demandas e
    agilidade no acesso às cargas;
  - Menor manuseio e menor exigência de embalagem
  - O desembaraço na alfândega pode ser feito pela
     própria empresa transportadora;
  - Atua de forma complementar aos outros modais,
     possibilitando a intermodalidade e a multimo-
     dalidade;
   - Permite as vendas do tipo porta a porta, trazendo
      maior comodidade para exportador e importador.
  Desvantagens:
  - Fretes mais altos em alguns casos;
  - Menor capacidade de carga entre todas as outras
     modalidades, exceto o aéreo;
  - Menos competitivo para longas distâncias.
FERROVIÁRIO
Vantagens:
- Adequado para longas distâncias e grandes quanti-
   dades de carga;
- Baixo custo do transporte;
- Baixo custo de infra-estrutura.
Desvantagens:
- Diferença na largura das bitolas;
- Menos flexibilidade no trajeto;
- Necessidade maior de transbordo;
- Tempo de viagem demorado e irregular;
- Alta exposição a furtos.


LOG.3

3 – O Sistema de Transporte
       Por meio dos transportes é que se escoam todos os bens e serviços e as riquezas produzidas nos países, influenciando até a formação do Produto Interno Bruto(PIB) da nação.
       No Brasil os transportes têm participação de mais de 3,4% no PIB.
       A Logística e o transporte são irmãos gêmeos. Não existe  Logística sem o transporte, na visão abrangente da palavra.
       3.1- Os modais de transporte
                A Logística usa o transporte para a otimização dos custos, aliados a qualidade dos serviços prestados e o menor prazo de movimentação dos produtos afim de buscar a melhor distribuição dos mesmos ao consumidor final, buscando sempre, eficiência no atendimento.
                Os modais de transporte são:
                     . Rodoviário
                     . Ferroviário
                     . Marítimo
                     . Fluvial
                     . Dutoviário
                     . Aéreo





LOG.2     
2 –Logística Empresarial
      “ A Logística empresarial é o processo de TROCA de  INFORMAÇÕES que  COMPRA RECURSOS, PRODUZ  e  DISTRIBUI   PRODUTOS  e  SERVIÇOS de determinados locais para outros quando e onde estes são necessários, no sentido de ATENDER AOS DESEJOS DOS CLIENTES.
      2.1 – Logística de Suprimento
           É o processo de PLANEJAR, IMPLEMENTAR e CONTROLAR, eficientemente, a aquisição, a estocagem, a movimentação dos materiais e as informações relativas a estas atividades, desde o surgimento das necessidades dos clientes até o atendimento destas necessidades.
Funções da Logística de Suprimentos:
- Classificação de materiais
- Composição dos itens do catálogo de materiais
- programação de compras
- Recebimento,conferência  e inspeção de materiais
- Estocagem e conservação dos materiais
- Fornecimento interno de materiais/devolução
- Controle de estoques
- Gestão das informações – o Electronic  Data Interchange-EDI. É uma tecnologia para a transmissão eletrônica de dados, via computadores, através de linhas telefônicas, modem e software específico para tradução e comunicação de documentos entre a empresa e os fornecedores.




e-Commerce – Comércio eletrônico – INTERNET
- empresa a empresa; empresa a cosumidor; consumidor a empresa; consumidor a consumidor; Governo para cidadão; Comércio móvel( m-Commerce), via telefone celular.
Obs.: Esta Logística é, também, chamada de Logística Interna.

   2.2 – Logística de Distribuição
             É responsável pela administração dos materiais a partir da saída do produto da Linha de Produção até a entrega do produto ao destino final/consumidor.
             As empresas estão cada vez mais terceirizando suas atividades relacionadas com a distribuição.
              A distribuição tem grande importância dentro da empresa por ser uma atividade de alto custo. Esses custos estão associados: ao peso. Volume, preço, Lead time, estado físico do material, modal de transporte, equipamentos de movimentação, qualificação e quantidade de pessoal envolvido na operação, pontos de apoio, seguro. Frete, entre outros.
               A distribuição esta associada também a entrega de cargas fracionadas( mais de um distribuidor,etc).




LOG.1
1-                 Conceito e evolução histórica da Logística
Logística é uma operação integrada para cuidar de suprimentos e distribuição de produtos de forma racionalizada,(com eficácia, eficiência e Produtividade).

Evolução histórica – desmistificar a idéia de que a Logística é uma novidade no campo da Administração de Materiais.

                    REFERÊNCIAS MILITARES HISTÓRICAS
01)Aníbal -2ª Guerra Púnica – 218 a 203 a.C
02)Rommel- 2ªGuerra Mundial- Norte da Africa-1942
Dia “D”- Desembarque da Normandia
Operação no Oceano Pacífico-2ª Guerra Mundial
Guerra das Malvinas
Guerra IraquexEstados Unidos- Operação Tempestade no Deserto- General William Pagonis

Entre 1950 -  1970
Alterações nos padrões e atitudes  da demanda dos consumidores.
MIGRAÇÃO....rural...para o Centro das cidades e dos Centros para os subúrbios. 
      Varejistas acompanharam a população- aumento das áreas metropolitanas.
       Manutenção maior de estoques   




A partir da década de 70
Forças de mudanças e eventos que influenciaram a Logística:  
-Competição mundial
                    -Falta de Matérias-Primas
                    -Súbita elevação dos preços do petróleo
                    -aumento da inflação mundial
Década de 80
A Logística tornou-se revolucionária devido a vários fatores:
- Explosão da tecnologia da informação
- Alterações estruturais nos negócios e na economia
- Fenômeno da globalização
Pós-1990
A Logística é entendida como a junção da Administração de Materiais com a distribuição física de produtos. Futuramente, a produção e a Logística se aproximarão cada vez mais não só em conceito mas em prática.
META.......REDUZIR CUSTOS e AUMENTAR PRODUTIVIDADE.
                              CONCLUSÃO: Houve uma simbiose das tradicionais funções da Administração de Materiais dentro das empresas, acarretando o desenvolvimento da Logística Empresarial.




26 de set de 2014

GRINGS - Integrais Indefinida aula 1

Limite - Cálculo Diferencial e Integral

06. Cálculo I - Limites no Infinito

05. Cálculo I - Limites Infinitos

04. Cálculo I - Limites e Continuidade

03. Cálculo I - Limites Laterais

02. Cálculo I - Definição Formal de Limite

Cálculo I - Apresentação do Curso